segunda-feira, 30 de março de 2015

Obesidade e o norte da mudança

MUDAR REQUER UMA DIREÇÃO

Emagrecer é "sair" da obesidade e ir para "onde"?

Tratar a obesidade é sair do estado obeso e ir para o estado eutrófico e, durante esse percurso, diminuir o LDL-colesterol aumentado, aumentar o HDL-colesterol baixo, normalizar a glicemia circulante e a pressão arterial, diminuir dores nas costas, nos pés, nos joelhos, corrigir a quantidade de gordura no fígado (esteatose hepática) e acabar com o refluxo gástrico ou a apnéia do sono. Obviamente, emagrecer tirando os alimentos ricos em carboidrato ou fazendo inanição (sem comer), jamais trará os resultados acima.

Emagrecer cortando a alimentação  é como estar em alto mar dentro de um barco a vela MAS, sem bússola e com fé  de que irá chegar no destino desejado... O mesmo ocorre com quem quer melhorar o condicionamento físico e começa, por conta própria, a caminhar ou correr. Por isso, infelizmente, é comum as pessoas dizerem: caminho há dois anos e não emagreço! 

QUEM QUER TREINAR, OU EMAGRECER, SEM ORIENTAÇÃO 
AGE COMO CRISTOVÃO COLOMBO: queria uma coisa e encontrou outra...

Sem sombras de duvidas ele teve um ganho soberbo mas, em se tratando de treinar ou tratar a obesidade é fundamental conhecer além daquele óbvio matemático de "gasto maior do que ingestão". Se essa fórmula funcionasse para tratar a obesidade esse não seria um problema mundial de saúde pública.  Sem um profissional experiente que dimensione o treino e trace uma estratégia progressiva e personalizada a probabilidade de êxito é semelhante ao barquinho acima ("sem" e "com").


ROLETA RUSSA
Sem orientação especializada a pessoa somente sabe se está no caminho certo quando emagrece. Isso ocorre porque desconhece as alterações fisiológicas, bioquímicas (metabólicas), psíquicas e emocionais que estão acontecendo em seu corpo durante o andamento desse processo. Desconhece quais fatores e condições estão melhorando mesmo quando seu peso se estabeliza. O pior de tudo ocorre quando o treino ou alimentação estão inadequados e, mesmo diminuindo o peso, a saúde está PIORANDO!
As pessoas não imaginam mas, estão brincando de Roleta Russa com a própria saúde. Diminuir drasticamente a ingestão para reduzir "peso" diminui, na verdade, dois dos seus bens mais preciosos: a saúde e a vida.
Sim, pois a falta de dinheiro não é problema porque há problemas que nem todo dinheiro do mundo resolveria (tirei essa frase do restaurante Jaber).


Estabelecer uma direção no processo 
de tratar a obesidade é um ponto chave para o sucesso

Sem direcionamento no tratamento da obesidade não se garante que ocorram os benefícios descritos no primeiro parágrafo. Para lhe ajudar a compreender essas explicações analise mais um vídeo do Psiquiatra Flávio Gikovate. Ele discorre, de forma simples, sobre parte das dificuldades que precisam ser enfrentadas quando buscamos mudar comportamento (e ele nem fala da obesidade, ok? É para todas as mudanças!). Fala um pouco sobre os mecanismos que estão por trás da nossa resistência à mudança e como entendê-los para, então, desativá-los. Além de analisar os principais obstáculos que enfrentamos, quando nos propomos a mudar um comportamento, ele ainda aponta caminhos para vencermos tais entraves. Aproveite! Eu adorei!




Nele, com atenção, compreenda em detalhes porque a eficácia dos medicamentos é frágil para mudar  comportamento (um olhar oposto a quase efusiva alegria do Dr. Gaudêncio - em um dos videos que postei anteriormente). Essa postura do Gikovate me agrada muito. Aliás, ele ressalta de forma magnânima como a medicação placebo tem fenomenal efeito psicológico. Esta é uma descrição do benefício da motivação extrínseca e intrínseca, fatores estruturais das consultas TMO e do Painel Corpo com Perfil Esportivo.

Ele chega a descrever o mesmo benefício em uma relação com amigos ou parceiro(a)s. Porém, identifique que ele mesmo diz que somente funciona desde que a pessoa seja SINCERA (uma raridade na atualidade!!) e tenha discernimento (e conhecimento) para intervir. Uma pessoa sem conhecimento nem experiência pode desestruturar a outra! Eu particularmente desaconselho essa estratégia até mesmo porque o número de pessoas egoístas que fazem aconselhamentos em benefício próprio é exorbitante! (evite!!).

Particularmente adoro quando o ouço dizer: parece que existe uma alma...que a minha alma conversa com a alma do outro...Nossa! É lindo isso, sim? Eu escrevo com a minha alma para a sua alma e desejo, de todo o meu coração que essas palavras sejam extremamente úteis para você!
É fundamental perceber que, ao contrário do que ele afirma,
"não resolve desejar que a outra pessoa mude a maneira de falar";
Precisamos, em primeiro lugar, querer tratar a nós mesmos. Com isso, mudar a nós e não aos outros.

Você se lembra dessa imagem? 




O corpo não se resume 
"só" a comer e gastar







E dessa? 




Muito menos é insensível 
aos acontecimentos do dia a dia 







Criei ambas para esclarecer a complexidade do assunto. 
Logo, tenha paciência com você!
Se atenha às 3 metas e se cuide. Diariamente. 
De verdade! Pois, não é fácil. Mesmo.
Porém, não é para parar de comer e, nem sempre, esse é o problema...

Pra finalizar, 3 perguntinhas lindas que uma participante fez, na gravação:
Quando trabalhar a aceitação? 
O que é passível de mudar?  
O que não?

Elas nos remetem ao contexto que você assistiu no vídeo daquela Girafinha linda (no post passado), para aprender que a fase da aceitação é a tratadora no processo psíquico!!! Na minha opinião, e eu trabalho herculeamente por isso (com a Pesquisa-ação AENE), a pessoa precisa, primeiro, aceitar que está obesa. A partir dessa tomada de consciência, identificar seu nível de gravidade e se focar, de forma concentrada para sair dele. Ou vai ficar como um barquinho a deriva...

Uma música linda para você querer direcionar firmemente seu barco!
Pois desejo que você se aproprie dessas orientações para pensar sua rota!





Por que estudei esses temas? 
Porque as pessoas que me procuram para serem atendidas chegam completas!
Então, em em meio a essa complexidade, sempre precisei encontrar uma rota mais curta, mais simples e mais direta para ajudá-las a solucionar os problemas delas. Faço esse trabalho desde 1990. Sempre deu muuuuito trabalho e me custou inúmeras horas de estudos árduos mas, os resultados que as pessoas alcançaram e alcançam fazem cada minutinho da minha vida valer a pena! :-)

Eu vim para ajudar as pessoas a serem mais felizes enquanto encontram solução para os problemas delas (e sou muitíssimo agradecida por essa oportunidade na minha vida porque meu coração está aqui!) :)    
Uma semana  norteadora. Pra você e pra mim!
#65728

Sem comentários: