quarta-feira, 29 de abril de 2015

Motivação para tratar a obesidade

E se a obesidade for um convite para se tratar melhor?


O corpo fala! Nós estamos escutando?

É comum, infelizmente, a pessoa ouvir falar das 3 Metas e achá-las interessantes mas, não ver resultado. Isso geralmente ocorre porque a pessoa não faz as metas.

Olha que interessante: a desconfiança ocorre no nível mental!
A pessoa nem experimenta para saber...só fica "pensando" sobre o assunto.
É triste, mas é outro aspecto comum entre nós, seres humanos.
Parte dessa complicada questão já está explicada no site e, por isso, no vou me ater a elas (para se aprofundar no assunto basta clicar na imagem abaixo).




Mas, quero me aprofundar na diferença entre ser comum e ser normal.
Comum é algo que acontece corriqueiramente, diariamente, mas não necessariamente seja normal.
Por exemplo, é comum as pessoas usarem calçados que apertem seus pés, apenas para ficarem bonitas, mas não é normal. Outro exemplo, é que agora se tornou comum as moças que competem ao título de Miss fazerem cirurgias plásticas para conseguirem ser a "mais bonita". Mas isso não é normal. Em certas regiões no Brasil é comum haver corpos (mortos) nas ruas, quase diariamente, mas isso não é normal.

O que é ser normal, então?
É normal as pessoas quererem ficar mais bonitas do que já são. Se esse esforço ocorrer sem exagero é normal. Tirar costelas para afinar a cintura não é. Dormir maquiada para acordar "mais bonita" não é.
É normal as pessoas escolherem calçados confortáveis pois os pés sustentam todo o corpo.
É normal as pessoas escolherem roupas confortáveis para fazer ginástica ou praticar esportes.
É normal as pessoas escolherem comer o alimento que gostam e nutrem suas células.

Não é normal sofrer com um calçado, com uma roupa ou com um alimento.
Talvez o corpo engorde para nos ajudar a perceber quanto estamos sofrendo por fazermos o que é comum. Talvez o tecido adiposo esteja aumentando para o corpo conseguir chamar a atenção da mente para que ela pare de pensar da forma como pensa pois está doendo no corpo. Pois está fazendo o corpo se sentir mal...

Se as pessoas com obesidade perceberem que estar obeso é um convite para se permitir viver melhor, certamente conseguirá não apenas o desejado emagrecimento mas, também, se perceberá mais feliz. Afinal, irá parar de fazer as escolhas comuns e optar mais pelo que é normal.
E saiba você que é bem normal precisar de motivação externa para se manter fazendo as 3 Metas!! É tão normal que o painel Corpo com Perfil Esportivo foi criado para solucionar essa questão: a motivação externa. O artigo no site explica direitinho.

É normal a pessoa querer ser feliz! 
Ou mais feliz do que já é! :-)


Eu levanto, todos os dias, buscando ser feliz em cada ação. E você?
Uma quarta-feira radiante pra você e pra mim!

sábado, 25 de abril de 2015

Obesidade e confusões associadas

O tratamento da obesidade começa na compreensão do assunto 

A complexidade dos vários temas associados a obesidade findam por acelerar o crescimento dela, no mundo, à medida que as pessoas os confunde. Isso ocorre porque inúmeras informações estão muito  distorcidas e, infelizmente, disseminadas de forma errônea pelas próprias pessoas leigas (justamente por desconhecerem o assunto). No exemplo INADEQUADO abaixo, há + de 80mil compartilhamentos! Lamentável...




Todo tipo de informação PRECISA e CORRETA é fundamental para as pessoas aprenderem a fazer escolhas. Ser independente e autônomo para poder escolher é a mesma coisa que dizer: ensinar a pescar ao invés de dar o peixe. As pessoas precisam ser orientadas a querer cuidar de si.





Com a intenção de ajudar mais pessoas a entenderem desse adorável assunto, o locutor e jornalista Nivaldo Mathias abriu espaço em seu programa e me convidou para discutir o assunto.
Você pode ouvir essa conversa no domingo, dia 26/abril/2015, 



Participe pelo facebook, mande suas perguntas e críticas 
porque participando você nos ajuda a ajudar mais pessoas!

Por que insisto, tanto, em ajudarmos desinteressadamente?

Viver é algo maravilhoso!
Vivemos em rede e o que ganhamos replicamos.

Desde pequena eu sempre ofereço a todas as pessoas que conheço, desde o primeiro momento, meu amor, compreensão e dedicação. Faço isso igualmente para todas as pessoas do grupo.







Estamos todos interligados 
A maioria das pessoas duvida da minha sincera espontaneidade. Mas algumas pessoas aceitam e respondem ao carinho que ofereço! São vários casos, para minha felicidade, e esse foi exatamente o caso da minha atual grande amiga Joana Mathias. A conheci em 2003, quando ela foi aluna em um dos cursos AENE (por isso coloquei uma pessoa entre nós duas, na imagem da rede, pois a conheci por meio das pessoas da Sec. Mun. de Educação que viabilizaram o curso). Com o tempo nossa amizade foi se desenvolvendo e crescendo. Num belo dia, em 2009, a convidei para jantar na minha casa e ela trouxe o querido marido: Nivaldo Mathias. Desde então, ele começou a fazer parte das nossas ações profissionais, acadêmicas e sociais. De repente, se interessou pelo tema da obesidade. Obviamente isso ocorreu devido à dedicação da profa. Joana, ela tem difundido AENE no trabalho e na família. Nesse mês ele me fez o convite acima, para essa atividade na Rádio Baruk FM. Puxa! Q satisfação! A vida é o máximo, sim? O que doamos nos retorna. O que sai de nós volta para nós.

E o melhor, aprendendo sempre, sim?
Lá na rádio, com o Afrânio, aprendi que em Hebraico BARUK significa "o abençoado". Bonito, sim? Na internet consta como termo relativo a sensibilidade, simpatia, cooperação, diplomacia e receptividade. Ai q lindo!!!! :) Queridos Nivaldo, Joana e Afranio, super agradeço a oportunidade de ajudar mais pessoas ainda! Foi uma satisfação ímpar! Aproveito para parabenizá-los pelo trabalho porque a Baruk FM é uma rádio que preza pela qualidade na informação e eu adoro isso! Contem comigo pois, no que eu puder ajudar, estarei sempre disponível!  Adoro pessoas "fora da caixa".

Então, se você se interessa pelo complexo (mas adoráve) tema obesidade, 
acesse e participe! :)



O trabalho é, sempre, uma oportunidade de aprendizagem e crescimento, sim?
Um fds enriquecedor, pra  você e pra mim!

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Açúcar não causa obesidade

Tratar a obesidade NÃO É proibir alimentos

Quem conta um conto aumenta um ponto. Você conhece esse provérbio português?
Da maior veracidade (qualidade do que é verdade), essa frase antiga explica a atual confusão no que tange tratar a obesidade (que é bem diferente de emagrecer).  Fiz o post de hoje para responder à duas perguntas em postagens que pediram minha opinião no facebook (certamente você já viu essas 2 imagens por lá, no face, pois foram bastante compartilhadas).

IMAGEM numero 1 parece mostrar a quantidade de açúcar dos alimentos em destaque

















Observemos que as consequências dessa proposta alcançou mais de 11mil likes e 41mil compartilhamentos (até a data de hoje, qdo copiei a imagem):


Você já ouviu dizer que uma mentira contada cem vezes passa a ser uma verdade? Essa frase saiu da experiência profissional de um especialista em marketing. Quem era ele e o que fez com esse conhecimento? Foi consultor do Hitler e eu não vou me estender nessa informação por dois motivos: já escrevi sobre isso 2 vezes, nesse blog, e o foco de hoje é outro.


Considerando o ditado português, e com a total responsabilidade de não ser mais um ser a prejudicar a raça humana, antes de replicar uma informação é fundamental checar:

1. tanto a fonte (acima, quando fui buscar a procedência da imagem) 
2. quanto a fidedignidade da informação (servir-se de sua formação acadêmica (graduação ou pós), de um profissional confiável ou livros básicos (científicos) da área.  

Mas, também vale a pena ler os comentários para uma análise rápida

Esse comentário do Gustavo mostra inconsistência entre a teoria no post (do cartaz) e a realidade (prática) dele. Parece que  ele consome esses produtos e não ficou diabético.  
O comentário dele é bem bacana porque ele é um exemplo vivo de que o diabete do tipo 2 não é causado UNICAMENTE pelo consumo desses tipos de alimentos. A mesma realidade que encontro entre as pessoas obesas que atendo. O PROBLEMA, como temos mostrado nas pesquisas e publicações científicas e não científicas, está na frequência e no volume deles nas refeições diárias. 


O comentário do Neil foi importante para identificarmos que o senso comum são opinões baseadas em análises lineares, rasas, diretas. As pessoas emitem opinião sem reflexão, provocando conclusões fracas e bem ruins (sem saber, obviamente, que poderiam ser melhores). 



A Juliana repete a explicação acima enaltecendo que esse tipo de análise frágil ocorre porque, NA ESCOLA DE BASE, fomos ensinados a raciocinar de forma superficial. Não é culpa dos professores porque eles replicam o modelo de ensino que aprenderam. A solução desse problema é QUEBRAR, INTERROMPER, DESFAZER essa repetição. Como? Vamos ver mais abaixo.



O comentário do Junior foi bárbaro porque destaca a necessidade de usarmos variáveis  COMPARÁVEIS quando temos a ideia de JULGAR (analisar) algo.




Variável é um termo comum da área de estatística para denominar coisas ou atributos ou condições de algo que se quer analisar. A Estatística, um ramo da Matemática, é disciplina comum nos cursos de graduação. Essa condição já explica que tal conhecimento fica restrito a quem tem formação superior. Isso NÃO significa que deve ficar fechada a sete chaves, exclusiva a quem alcançou esse nível de estudos. Ao contrário. Significa apenas que para ser explicada a pessoas de níveis de estudo anteriores a esse, precisa ser feito de maneira cuidadosa e mais simples. Por favor, observe que não escrevi inferior e sim ANTERIOR, pois o faço com a intenção de situar e não de discriminar.  Outra questão é que, embora uma pessoa tenha curso superior pode ser que não compreenda a informação da maneira correta. Isso pode acontecer por não ser da área em questão.

Outro aspecto bacana no post do Junior é que ele escreve a palavra pesquisa entre aspas. Pois ele, como pessoa responsável, está apontando erros de forma cuidadosa.  Não atirar pedras nem dar pauladas é uma postura elegante que mostra respeito e, certamente, receberá respeito em troca. Afinal, só recebemos o que damos! Quer dizer, quem dá pedradas e pauladas recebe...

Para analisar adequadamente o comentário do Junior 
vejamos uma imagem, correta, tirada da internet (clicando na imagem você encontra a fonte):




Além dos valores estarem corretos, a comparação entre as duas bebidas é feita com 200ml de cada. Certíssimo, pois permite analisar não só a quantidade de açúcar mas, também, dos outros nutrientes que cada uma contêm. Com todos eles juntos pode-se concluir que MAIS NUTRITIVO é o suco de laranja e, embora tenha mais açúcar isso não o torna prejudicial como concluiu o comentário do Neil que teve 523 likes... 




Querido(a) leitor(a), muito triste porque não sou patrocinada por uma marca de açúcar, informo que o açúcar NÃO FAZ MAL, como dizem!!Aliás, ele é uma plantinha saudável! Para discordar dessa afirmação você precisa encontrar estudos que mostrem o contrário e, lembre-se: a fonte desse estudo é confiável?  

Se a pessoa quer tomar refrigerante (porque gosta ou porque tem menos açúcar) que tome! Mas que o faça consciente que suas "calorias são vazias". Termo usado para dizer que o valor calórico fornecido não inclui os micronutrientes necessários para o funcionamento do corpo como, por exemplo, o suco de laranja. 

No entanto o refrigerante, não mata nem provoca os danos da imagem abaixo. 
De toda forma, é importante lembrar que a proposta do refrigerante nunca foi ser nutritivo. Assim como não é uma cerveja, uma vodka ou um scotch ou whisky. Na minha opinião é importante pararmos de comparar o incomparável.
Você não acha? 
Infelizmente temos a tendência de incluir tudo no mesmo balaio e "rotulamos como se fossem iguais". Obviamente não tenho problema nessa área que escrevo mas, não se engane, em outras eu tenho o mesmo problema .. Um exercício importante é perguntarmo-nos antes: para que isso serve? E tentar diferencia-los antes de comparar.  Pois, se não pararmos de fazer isso em breve estaremos comprando uma mesa e querendo usá-la como cadeira (ou vice-versa)...


A IMAGEM número 2 parece mostrar que a coca cola 

(ou o refrigerante), é (são) a causa dessas doenças:






Todas as formas de analisar informação, que citei acima na imagem anterior,
 servem para pensarmos sobre essa e vou concluir assim, com base na minha experiência acadêmica e profissional na USP: a informação dessa imagem não é verdade.

As pesquisas científicas NÃO mostram VERDADES mas, sim, respostas para as perguntas dos pesquisadores. Quer dizer, uma pesquisa só mostra "verdade" se o pesquisador que a realizar estiver buscando a verdade...
Para me explicar melhor vejamos essa outra fonte, tb do face:




Clicando na imagem você vai para o texto original e identifica que a conclusão diz assim: "pessoas podem" (engordar)  "se" 

Porque as afirmações não são conclusivas? Já que eles identificaram que as pessoas que tomam o refrigerante diet tem 3 vezes maior volume de abdome do que aquelas que não bebem?


Por causa das "variáveis"!
Não é fácil cercar todas as variáveis para se fazer um estudo científico!! E as conclusões inconcluídas mostram falhas na definição das variáveis que PRECISAM ser feitas PREVIAMENTE. Ou seja, no projeto de pesquisa! No mínimo para que ele seja, realmente, científico.

Então, não é porque existe uma pesquisa sobre um assunto que significa que o resultado encontrado seja uma VERDADE. Aliás, por isso e para que a população seja menos enganada, o raciocínio científico precisa ser conteúdo no processo ensino-aprendizagem formal. SOMENTE ASSIM VAMOS IMPEDIR a replicação do raciocínio raso, não reflexivo.

Quais podem ser as premissas minimalistas 
para se construir um Raciocínio Científico? 
Algo que saia da linearidade, do senso comum? 

O ideal é, sempre, comparar com a realidade. Nesse momento cabe revisitar o comentário do Junior, quando ele coloca a palavra pesquisa entre aspas pois mesmo uma comparação não-científica requer bom número de avaliados. Mas, penso que ele quis dizer levantamento de fatos, dados, opiniões que, como exemplifico abaixo, não é cientificidade mas, ainda assim, é uma forma de análise. Então, cheque na sua realidade, entre seus amigos, familiares e colegas de trabalho:

1. há pessoas magras que tomam refrigerante? (  ) sim  (   )não
2. há pessoas que desenvolveram alguma das doenças descritas nas latinhas que NÃO tomavam refrigerante?  (  ) sim  (   )não

Ao obter os sims e nãos um pesquisador ainda precisa fazer o tratamento estatístico para afirmar algo. Mas, nós mortais que estamos apenas checando a realidade ao nosso redor já começamos a ficar mais alertas com as generalizações! Porém, o pior está por vir:

para um alimento (ou bebida) interferir na composição corporal de uma pessoa 
precisa, sempre, ser avaliado com base em mais duas variáveis:
1. frequência diária;
2. volume a cada frequência;

Em outras palavras, os alimentos industrializados ingeridos em pequena quantidade, uma ou duas vezes na semana, não prejudicam o funcionamento corporal nem proporcionam as doenças citadas.

 Bem, mas, então, onde está "o vilão" dessa história? Nos dois ítens citados:

1. frequência diária;
2. volume a cada frequência;
ou seja, no nosso comportamento DIÄRIO

Contudo, o efeito desses 2 ítens variam nas pessoas 
em acordo com o estilo de vida delas

Tem um filme romântico, lindinho, que já indiquei várias vezes por inúmeros motivos: Wilbledom, o jogo do amor (clique), mas hoje é para mostrar que esse casal, em todos os encontros, comem alimentos ricos em carboidratos, em tamanhos imensos (!!), e com muuuuuuita fritura!

Vc achou isso incoerente? Pois, se eles são atletas deveriam fazer escolhas alimentares "saudáveis"?
Ao contrário...
Pois, justamente por serem atletas usam toda essa energia dos alimentos (rotulados como não saudáveis) nos treinos e jogos. E que treinos e que jogos! Uau!! (fora o sexo, que gasta energia de monte...rs...quando é exigente, óbvio...).


Essa é a realidade da vida desses e de vários outros atletas! 
Qual é a realidade da sua vida?
Qual é seu estilo de vida? É um mais para ativo?

Para ir concluindo esse post, observemos que  não é o "tipo do alimento" que  nos "faz mal" mas, sim, nosso comportamento frente a eles. O pior de tudo é quem fica catequizando pela internet...isso pode, aquilo não pode...pobres das pessoas que acreditam nessas "falsas verdades" virais...

Quando nos atemos a realidade das pessoas obesas o contexto se complica e mais mentiras são contadas...Um verdadeiro caos.


Infelizmente se pensa que a culpa é da mídia e do marketing predatório 
mas esses posts do FACEBOOK têm ressaltado que 
a culpa está sendo compartilhada por pessoas "quase inocentes", 
pois, de maneira bem errada, propagam informações inadequadas na rede!

Como prometi, finalizo com minha manifestação sobre a fala da Juliana e do Neil
(lembra? NA ESCOLA DE BASE, fomos ensinados a raciocinar de forma superficial. Não é culpa dos professores porque eles replicam o modelo de ensino que aprenderam. A solução desse problema é QUEBRAR, INTERROMPER, DESFAZER essa repetição. Como? Vamos ver mais abaixo.) 

Como SOLUCIONAR O PROBLEMA DAS PESSOAS ENGOLIREM REGRAS SEM REFLETIR A RESPEITO? Para auxiliar nesse raciocínio proponho analisarmos a letra inteligente da música da nossa musa Zélia Duncan:



Em uma das estrofes ela diz assim: 
"eu tô estudando pra saber ignorar" 

Não tem saída. Para viver é preciso ter um corpo saudável. Alimentação é base para termos saúde e, como descrito aqui, não dá pra "confiar" esse ítem a terceiros pois ele é ABSOLUTAMENTE pessoal.

Afinal, olha que bacana: podemos tomar refrigerante e consumir alimentos com açúcar e ainda assim emagrecer ou tratar a obesidade! Com satisfação e alegria! Sem desenvolver as doenças e todos os dramalhões que a mídia e as pessoas desavisadas provam por aí sem estudar!

Por que estudar esse tema relacionando-o com os conteúdos escolares?
Porque é somente assim que INTERROMPEMOS, de vez, o processo errado de pensamentos irrefletidos. As crianças que aprenderem a aprender irão ensinar em casa, seus irmãos, pais e familiares. Pronto! Problemas resolvidos! E o melhor de tudo é que TODAS essas informações já estão nos livros e cadernos didáticos! Acredita? Vá lá dar sua olhadela! 


Como estudar esse tema 
relacionando-o com os conteúdos escolares?
Os Educadores que fazem o Curso AENE de formação (completo) para implantar a Pesquisa-ação AENE aprendem exatamente como usar os conteúdos didáticos para discutir essa questão com os escolares. 
Na semana passada estive em reunião com responsáveis da rede Municipal de Ensino de São Paulo e há previsão para começar (gratuito para os concursados) em agosto desse ano! 

O curso para educadores da rede particular de ensino acontecerá no Instituto Perfil Esportivo a partir de 05 de maio (presencial e virtual) e na rede Estadual (também de São Paulo), tem perspectivas de acontecer na Sul 1, em Guarulhos (em acordo com as solicitações dos educadores para o Coordenador Geral).

No instituto Perfil esportivo temos diferentes tipos de atividades para diferentes tipos de pessoas e necessidades justamente para colaborar na interrupção desse irrefletido e encarcerado "pode não pode". As atividades gratuitas tem prazo específico para acontecer e, por isso, é preciso ter um pouquinho de paciência. As atividades particulares (pagas) podem ser adquiridas mais rapidamente mas, o importante, é que todas essas possibilidades, uma vez aprendidas, servem e servirão para a vida toda porque o foco é aprender a beneficiar a existência humana! Humanamente.

Quando estou em uma festa, se não tiver outra bebida, eu tomo refrigerante normal
mas, minha caipirinha eu escolho SEMPRE com açúcar. E você?
Um  começo de noite, saindo da lua cheia, ma-ra-vi-lho-so pra você e pra mim!
#66.054 

segunda-feira, 6 de abril de 2015

A obesidade e a dificuldade de mudar

Mudar, para tratar a obesidade, requer renovar conceitos 

Uma das formas de aprendizagem é a lógica racional, o nexo causal
Aprendemos, principalmente, pelo nexo da informação com o contexto.

Mudar comportamento não é fácil, mas é possível
desde que a nova informação faça sentido na nossa vida!
Por exemplo, analise a informação desse presente que o Facebook me deu, no domingo de Páscoa:



Ai que lindo!!! Fui, realmente surpreendida pelo Fb, tanto pela imagem quanto pelas inúmeras boas lembranças que ela me trouxe!
Esse foi um trabalho maravilhoso que ajudou muitas pessoas a quebrarem crenças inadequadas em 2012! Eu já havia me esquecido dele! Deveras, também causou polêmica e resistência... Hoje, felizmente, é um conceito bem mais aceito! :-)

Então, voltando ao foco de hoje:
Para mudar comportamentos é necessário, primeiro, encontrar as crenças erradas, as falsas verdades às quais nos atracamos feito âncoras e levamos para a vida toda. O pior de tudo é que fazemos isso sem perceber quanto tal informação (falsa) nos prejudica. Alguns exemplos comuns (e chinfrins)  são: misturar manga com leite faz mal, mulher menstruada não pode lavar os cabelos (e hoje, na dentista fiquei passada ao saber que ainda se acredita que mulheres grávidas não podem tratar os dentes!! Mamma mia...!!). Bem, e por aí vai... informações ultrapassadas que estão incorretas e tanto interferem nas escolhas como, até mesmo, chegam a IMPEDIR O EMAGRECIMENTO e, ou, o tratamento da obesidade. Veja, encontrar as crenças erradas para tirá-las e, com esse esforço, abrir espaço para informação NOVA, que irá proporcionar o tratamento que se deseja. Esse processo PRECISA acontecer ou, não ocorrerá tratamento.


Um exemplo significativo é a informação do chocolate normal, acima. Mas, nela eu volto daqui a pouco porque, primeiro, 
vou mexer com outro tema, beeeem mais complicadinho... : 

É senso comum considerar a páscoa uma festa cristã, sobre a ressurreição Fz a primeira comunhão, na igreja católica, motivada pelo esforço da minha irmã que estudara o mesmo na escola. Porém, embora eu adorasse o ovo de chocolate, ele nunca teve sentido "de Páscoa", pra mim. Aliás, a "ideia" de qualquer ovo, inclusive, não me fazia sentido e, mais bagunçadas ficavam as ideias ao associar, nesse contexto, um coelho!! Na Páscoa? Na religiosidade? ihhhh, não cabia...

Mas, acatei por muitos anos. Observe que acatar é bem diferente de aceitar. Acatei por respeito sem, nunca deixar de comer ovo de chocolate :-) Isso significa que o assunto sempre me intrigava pois, não gosto de ponto "sem nó"... (é! Já fui bordadeira e ainda costuro! :-) ). Bom, se você também tem esse tipo de curiosidade, sobre o significado das celebrações, sugiro o video da sempre fantástica Filósofa Lucia Helena Galvão, da Organização Internacional Nova Acrópole, pois é bem explicativo!



Nesse, especificamente, a Lucia explica a necessidade de nos estimularmos a querer entender os "porquês" (da vida) e os "para que isso?", que recheiam nosso cotidiano. Segundo ela, é a partir de informações bem sedimentadas que nos tornamos menos capturáveis pelo marketing predatório e mais cônscios das nossas próprias (e reais) necessidades. Condições fundamentais para nos tratarmos das compulsões, no mundo atual. Por que me incluí na condição de compulsão? Porque já fui de comprar duas peças de roupa do mesmo modelo, ou dois pares do mesmo calçado, com cores diferentes. O motivo? Porque fiquei indecisa na cor, porque estava barato e etc mas, na verdade, o motivo nem importa. O que importa é que esse tipo de comportamento é consumista e precisa ser combatido!! Bom, eu parei com isso em 1998/2000...:-) ) 


No minuto 25 do segundo vídeo (são 3 vídeos), com  base na tradição Filosófica, Lucia explica que ainda hoje a palavra Páscoa, para as línguas de origem anglo saxonicas, é EASTER (como easter holiday - feriado de páscoa, em inglês), pois teve sua origem na deusa Ostara, da cultura Celta (da imagem). Easter = Ostara.

A deusa Ostara carrega a Lebre (coelho) como símbolo da fertilidade (fartura, riqueza) e os ovos porque simbolizam a semente da vida. Puxa! Aí faz todo o  sentido, sim?

Bom, mas e o chocolate? Em uma busca muitíssimo rápida encontrei nesse blog (de uma escola estadual de Minas Gerais), que os ovos passaram a ser de chocolate graças aos franceses (ah! esse povo e suas ideias maravilhosas!). Bacana uma escola ensinar isso, sim?


IMPORTANTE!
Com essas explicações não estou desmerecendo a celebração cristã mas, nos permitindo esclarecer que comer ovo de chocolate, na Páscoa, está mais para uma celebração à Ostara, no estilo francês, do que renovar a fé cristã. Faz sentido, essa afirmação?

Então, na Páscoa, valem essas perguntas:
- O que, exatamente, estou celebrando?
- Com qual significado vou realizar essa celebração?
Bom, se ao invés de celebração  (que vem de celebrar) for usada a palavra comemoração (que vem de comer), aí bagunça mais ainda...

Agora, se permita pensar sobre o assunto páscoa/easter. Bom, se você já o conhecia, se lembre de quando ouviu essa informação a primeira vez. Vale fechar os olhos agora e pensar uns segundos sobre a questão. Para que, fazer esse exercício? Em primeiro lugar, para identificar se você encontra alguma resposta boa, dentro de você, como se gostasse mais de você mesmo(a), por ter aprendido / encontrado / entendido essa informação, esse conhecimento. Em segundo lugar, para verificar se você é o tipo de pessoa que gosta de viver uma vida que "faça sentido", que "tenha significado"!

Eu?
Eu fiquei muuuuuuuuuuito feliz quando conheci essa informação, há alguns anos, e passei a vivenciar a Páscoa com um novo olhar. Me sinto mais feliz, mais inteira, mais completa!! Nossa! Entender que a Páscoa é uma celebração de agradecimento pela riqueza da vida! Agradecimento pela fertilidade da Natureza, me dá muito sentido para a força da Fé! Sim! Afinal, qual é o significado da Fé na ressurreição? Maravilhoso! Minha vida PRECISA ter sentido! Só faço algo se tiver um significado pra mim! Com isso, cada passo no meu dia a dia tem valor!Nesse percurso, me dou mais valor, dou mais valor para o que faço, para os relacionamentos que vivo, para as pessoas que encontro! Me lembro ser bastante comum ouvir as pessoas me dizerem: "parece que vc não tem problemas, Cláudia"! Talvez...rs...pois, mesmo os problemas, acredito que eles estão comigo por um sentido! Também, eles, os problemas que agora até gosto de chamar de desafios, têm significado! Perceber meus dias dessa maneira me agrada porque valoriza minha vida! Bom, mas e você? O que sentiu, percebeu, com a informação Páscoa/Easter?

Por que desejo saber?
Para identificarmos, agora, se o conhecimento pode vir a ser processo fundamental no seu tratamento da obesidade! :-) Observe:

Ao fazer uma celebração é necessário entender os símbolos e significados relacionados a ela ou, em breve, estaremos fazendo coisas bem piores... Penso que seria interessante dizer: Ovo de Chocolate, ao invés de Ovo de Páscoa, para desassociá-lo da celebração de Páscoa Cristã e explicar esses detalhes aos pequenos...às crianças. OU, nós adultos, sempre seremos a causa (raiz) de muitas confusões. Bom, eu sou contra aquela máxima: "é assim porque é assim e pronto"Não! Eu gosto de saber as origens, eu preciso saber os "porquês" e os "para quês" de TUDO! Não me venha com churumelas...rs...que eu não aceito... :-) Nem vou usar para mim! Minha vida precisa de sentido!


Mas, por que entrei em um assunto tão polêmico como Páscoa/Easter? 
Porque, no meu dia a dia profissional, trabalho com uma dificuldade bastante semelhante:
separar as crenças erradas 
dos fatos verdadeiros, reais, relacionados à inteligência celular e o funcionamento do organismo humano.
Em palavras mais conhecidas: tratar a obesidade de forma múltipla para cada diferente pessoa que procura atendimento. Afinal, nem sempre, o caso é alimentação.


Lembra-se do começo desse Post?
Uma das formas de aprendizagem é a lógica racional, o nexo causal
Aprendemos, principalmente, pelo nexo da informação com o contexto.

No meu ponto de vista, na minha experiência profissional desses 25 anos, as confusões na área da obesidade são infinitamente piores do que confundir páscoa (pessach, Hebreus, Crsitãos) com easter (Ostara, deusa, festa pagã), pois existem pessoas se matando, acabando com as próprias células, órgãos e tecidos corporais com base em informações erradas! 

Pessoas se torturando de culpa, passando fome, construindo doenças por total falta de discernimento sobre o que é "isso" ou "aquilo".

Elas estão fazendo o pior com sua saúde na melhor das intenções! 
As condições de saúde das pessoas estão chegando para atendimento, no meu consultório, são extremamente tristes! Muitas delas já estão em estado crítico de saúde, com danos bem avançados e, por isso, em condições mais difíceis de serem tratadas, por elas mesmas. 

Sabe, penso que as atuais confusões estruturais e conceituais sobre alimentação e obesidade começaram assim, com confusões inocentes... Mas que, como toda banalização, mais dia menos dia, vai se tornar uma bola de neve e findar, no final de um período,  como uma imensa Torre de Babel... Será que consigo me explicar?

 Então, com o coração imbuído da renovação desse período, como uma pequena semente que vai se tornar um imenso carvalho,  inovamos vários aspectos na proposta de trabalho do Tratamento Múltiplo da Obesidade - TMO!

Agora, as pessoas que identificaram a seriedade de dar sentido e significado ao seu tratamento da obesidade, podem experimentar algumas partes do TMO! Nas 3 novas páginas que você encontrará no site (clique aqui) vai identificar, também, depoimentos de quem fez e as conquistas que obteve. A dentista Wu, de 48 anos, emagreceu 16 quilos em mais de uma ano, "apenas" com algumas participações simples, como essas que agora estão disponíveis. Por que isso ocorre? Porque, na compreensão múltipla, tratar a obesidade vai além da fórmula matemática ingestão menos o gasto. É fundamental compreender, também, que as características de personalidade interferem completamente no processo! Isso significa que algumas pessoas antecipam e outras retardam, essa conquista exatamente em acordo com suas necessidades de conhecimento! Sim! Pois, afinal, estamos nessa vida para nos desenvolvermos, sim? :-)

Gostou da Novidade?
Para ver como ficou, acesse o site (clicando aqui) e conheça as novas opções na página Tratamento (lembre-se de compartilhe suas percepções!! Nós vamos adorar!!). Acreditamos que essa iniciativa vai ajudar mais pessoas ainda a renovarem as ideias e suas células, por conseguirem, finalmente, "por os pingos nos is" e se tratarem da obesidade e das doenças que ela causa (que,s e ainda não se instalaram precisam ser prevenidas!). No TMO usamos diferentes tipos de ensino-aprendizagem justamente para acelerar o processo de tratamento! O post de hoje explica apenas uma forma, a lógico-racional / nexo-causal :-) !

O maior ganho será: renovar os conceitos para, na Páscoa de 2016, comer seu ovo de chocolate da marca e do sabor que mais gosta! Sem dieta, sem culpa, sem engordar e, em acordo com seu estágio de tratamento, emagrecendo e sendo feliz enquanto se trataPara sempre! Sim! Afinal, as 3 Metas são estratégias saudáveis que podem e devem ser utilizadas para a vida toda! Eu também as faço :-) Até porque, é fundamental se lembrar que a obesidade é uma doença cronicodegenerativa não-transmissível, que hoje atinge mais da metade da população mundial.

Para finalizar, celebrar (e adoçar) esse post, uma das músicas que mais amo nessa vida!!! Além dela ser lotada de perguntas adoráveis, é incrível para celebrar a primavera pois "fala" de flores! :-) O que? Vc ficou confuso(a) pois não estamos na primavera? Ihhhhh, então assista o vídeo para descobrir que usamos (copiadamente) as celebrações criadas no hemisfério norte do planeta Terra... é de lá que nasceu easter, pois simboliza a fertilidade da primavera (se você assistir o video vai entender que celebramos as festividades em datas erradas!! Pois estamos no hemisfério sul...aiaiaiaiai, pode?)

A música é da nossa, também sempre querida, musa inspiradora e filósofa: Zélia Duncan (Para que, tantas flores?), brincadeira! A música se chama: Flôres:




Ah! Eu desejo ter força, sempre, para me renovar e renovar os significados e conceitos da minha vida! E você?
Uma semana linda, renovadora, para você e para mim!
#65.987

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Obesidade e Prazer

Obesidade e os prazeres da carne! 

Em tempos de páscoa aqueles "pode não pode" explodem e ultrapassam o limite do aceitável Como aquariana, eu gosto de ir para o lado oposto das coisas. Veja, não sou "do contra", apenas gosto de pensar sobre uma "mesma coisa" de formas diferentes. Por exemplo, analisar o maravilhoso prazer da páscoa!! A páscoa é famosa por causa dos ovos de chocolate. Verdade ou mentira? Não! Ninguém está interessado em relembrar a razão dessa celebração… (quase ninguém). Então, vou direto ao ponto que quero discutir. Vou me ater somente ao prazer.

Prazer é uma palavra, um estado, uma condição que eu particularmente adooooooro! E, por isso, quero compartilhar essa questão contigo de forma aprofundada:




 Por favor! Leia esse trecho em voz alta para seu cérebro OUVIR a informação (se já leu o quadro, vale a pena reler para fazer esse exercício falado).


O TEXTO ACIMA DESTACA 4 DIFERENTES ASPECTOS DA PALAVRA PRAZER

SENTIR
 SENSAÇÃO
DEMONSTRAÇÃO
AÇÃO

Com a história do Ovo de Páscoa a amplitude do prazer
acaba ficando restrita ao aparelho digestório. Reparou isso?






SENTIR o sabor do Ovo de Páscoa
SENSAÇÃO de alegria porque vai comê-lo, ganhá-lo ou doá-lo
DEMONSTRAÇÃO de afeto ao ganhar ou doar Ovo de Páscoa
AÇÃO de partipar da alegria
AÇÃO de partipar do prazer dessa celebração






Pôxa!  
Mas esse é o único aparelho que nos dá prazer?? Claro que não!  Também tem o aparelho genital...  
 Em resumo: nosso corpo tem  2  (duas) fontes de prazer?
Nananinanão!!

Bom, então quais são nossas outras fontes de prazer?





GENTE!!! 
O CORPO INTEIRO 
SENTE PRAZER!!!

Certamente você já viu esse vídeo no facebook:





Percebeu quanto prazer eles sentem dançando?
O movimento proporciona prazer de inúmeras formas!
Hoje quero enfatizar que existem outras fontes de prazer além daquelas proporcionadas pelos aparelhos digestório e genital. Vale a pena experimentar os diferentes significados dessa palavra no próprio corpo!! Vamos fazer mais um exercício importante?

Assista novamente o video acima mas, agora, 
analise as expressões faciais deles dois.
Enquanto dançam estão se divertindo a beça! 
Em primeiro lugar, observe que sentimos prazer "apenas" em olhá-los! 
Em segundo, imagine se o seu corpo conseguisse dançar como eles? Uau!! :-) 
Puxa! Tomara que vc tenha se animado!!!!!!!!

Quer começar e não sabe como? 
Matricule-se no primeiro nível, 
na primeira aula, em uma aula experimental...

Mas, mesmo estando com obesidade? 
Ué! O John, do vídeo, é obeso e dança magnanimamente bem! Assim como essa outra loira:




Reparou nas expressões faciais deles?
Aproveite a renovação da páscoa 
e renove suas fontes de prazer!

Na semana passada voltei, para total alegria do meu ser, a fazer aula de dança de salão!
Confesso que fiquei encantada com a quantidade de pessoas obesas presentes!!
O mundo mudou e todo mundo está percebendo seu direito a felicidade!!!
Vamos!?
Queira sacudir o corpo com ritmo!!
Experimente novas fontes de prazer!!!

Ter feito curso de ritmos antes facilita a aprendizagem mas,
um novo ritmo é sempre uma novidade e, o mais importante é começar!

Meu professor, o Evandro, é um figura!
E ele diz assim, antes de explicar o passo:
"rapazes, escolham uma vítima". Eu (e todos os presentes) rio o tempo todo!!
Me divirto e esqueço dos problemas!!
Dançar é ex-tre-ma-men-te prazeroso! 
O corpo e a mente adoooooram!!!
Nem se preocupe de "levar" um par.
Fazemos rodízio e, nessa escola, faltam mulheres! Acredita?

O que poucas pessoas discutem 

é o valor terapêutico do processo de dançar a dois

Dentre vários fatores que podem ser desenvolvidos em atividades coletivas como essa,
é possível trabalhar o aspecto feminino. Por que?
Porque a feminilidade implica virtudes que na atualidade estão desvalorizadas e, nós, mulheres, perdemos nosso norte. Estamos, literalmente, desnorteadas.
Sim, pois nascemos com corpo de mulher, com coração de mulher, com cabeça de mulher, pés, mãos e tudo o mais de mulher mas nos vemos forçadas a viver em um mundo masculinizado. Nele, a exigência da vida está de igual para igual e para viver "adequadamente" precisamos encarcerar a mulherzinha que existe dentro de nós... Mas, a DANÇA A DOIS liberta essa bonita!!! :-)
Por quê? Porque na dança de salão o homem comanda a coreografia!!
Nessa atividade ele é quem manda!!
Então, aprender a dançar é um esforço tratativo da alma humana! Sim, porque a bem da verdade, até mesmo os homens estão desnorteados de sua masculinidade...

E, não nos enganemos pensando que esse aspecto se restringe aos heterossexuais
Isso não é verdade! TODOS temos dois lados: um masculino e um feminino, e precisamos equilibrá-los dentro de nossa alma. Os extremos não são bons e isso nos remete à aquela frase: nem tanto ao céu nem tanto ao mar...Lembra? (ou seria terra?...rs) )


Bom, eu me trato até quando estou me divertindo porque cada minutinho da minha vida
é valioso pra mim!!..rs...(vamos falar sobre o feminino e a obesidade em um outro post).
Mas hoje, o importante mesmo, é se permitir a sentir prazer!
Seja na aula de dança, seja na páscoa ou na mensagem desse post!
Independentemente da idade...

Quem NÃO dança a dois nem sabe, mas o corpo fala
e as mãos declamam verdadeiros poemas!!!
aiaiaiaiaiaiaiaiai nesta Páscoa soltemos nosso corpo e sintamos outras fontes de prazer!!
Mas, claaaaro! Comendo ovo de páscoa também! :-)
Sem exageros, praticamente se "pode" de tudo!
:-)

Eu vim para aprender a desfrutar desse corpo que a vida me deu!! E você?
Uma quinta-feira, véspera de feriado, linda pra você! E pra mim!     
#65.842